A incompletude da história da igreja: o surgimento do cristianismo

Conheça a história da igreja e o surgimento do cristianismo.

Contar uma história não é uma ação (crono)lógica e isenta de pontos de vista.

Já tentou narrar para um amigo o que você fez no final de semana e acabou invertendo a ordem das suas ações e dos acontecimentos que você se envolveu? Já, né! Isso é muito comum.

Já parou para pensar, também, que quando você estava contando essa história, era o seu ponto de vista que estava sendo considerado?

Vamos supor que você teve um desentendimento com a secretária do seu dentista e resolveu relatar para esse seu amigo o que você viveu. Com certeza a sua visão sobre esse impasse é totalmente diferente do da secretária, que conta a “mesma” história para seu chefe, no fim do expediente. Você não acha?

Dessa forma, podemos afirmar que contar uma história é propor um recorte de tempo e também assumir um ponto de vista sobre os acontecimentos. E isso vale para nós, cidadãos comuns e para os historiadores.

Por isso, a história da igreja tem sido contada por diversas vertentes – entenda como “pontos de vista” – e mais do que isso, a “mesma” história pode ser narrada pela mesma vertente, mas, partindo de recortes diferentes.

Assim, podemos entender porque volumosas obras foram escritas ao longo do tempo sobre a história da igreja cristã e, também, porque elas não vão parar de ser (re)escritas.

Listamos, neste post, algumas obras que tratam a temática e explicamos os seus recortes, confira!

Conheça quatro obras que tratam das mudanças da igreja primitiva.

Veja quais mudanças ocorreram, até hoje, a partir de diferentes perspectivas e recortes:

  1. História da Igreja Cristã de Jesse Layman Hurlbut.

A obra História da Igreja Cristã apresenta um recorte sociocultural, voltado para os povos, lugares, cultura e eventos, desde os primeiros dias da Igreja até hoje. Entre vários assuntos, o autor apresenta reflexões sobre: o ardor espiritual que iluminou a Igreja primitiva, as perseguições sob o comando de Nero e de outros imperadores romanos, a ascensão do poder papal da Idade Média e os líderes na Igreja Moderna, como Jonathan Edwards e John Wesley.

A obra tem um caráter super didático, em cada subdivisão, há uma sugestão de estudo e algumas perguntas, para você revisar seu aprendizado, no final de cada capítulo. Por meio dos mais relevantes eventos religiosos mundiais, Hurlbut narra como Cristo continua a chamar e purificar sua noiva, a Igreja!

  1. Por que a Reforma ainda é importante? De Michael Revees e Tim Chester.

O recorte proposto por esses autores considera a atualidade. Ele parte da hipótese de que, depois de 500 anos, as igrejas evangélicas seriam bem servidas pela redescoberta da teologia reformada. Para os autores, o pensamento dos reformadores não apresenta apenas um desafio à prática católica. Mas, são parceiros vitais desse diálogo e têm potencial de renovar e revigorar nossas igrejas.

  1. Conhecendo os Pais da Igreja de Bryan Litfin.

Esse recorte é super diferenciado! O autor, não somente apresenta os dez personagens importantes da igreja antiga, mas também mostra por que o estudo dos pais da igreja ainda é proveitoso para os cristãos de hoje.

Ao abordar a trajetória desses personagens, atravessamentos sobre os pilares da igreja nos tocam: a vida, a fé e os escritos aparecem de modo simples e agradável. Litfin faz uma trajetória que nos conduz pela era da perseguição ao martírio até o período de divisões e controvérsias doutrinárias.

O livro é ideal para que alunos, professores e grupos pequenos façam suas pesquisas, a fim de saber mais sobre o ponto de vista do cristianismo histórico e ortodoxo.

  1. Os Outros da Bíblia do autor André Daniel Reinke.

Sempre propondo recortes inovadores, André Daniel Reinke promove um estudo sobre a história Bíblica, a partir dos povos antigos que interagiram com o povo de Deus, com o objetivo de responder a seguinte questão: Quais são as convergências e divergências entre a fé pagã e a fé bíblica?

Ele vai considerar os “outros” das narrativas bíblicas. Ou seja, as culturas e as crenças religiosas dos povos mesopotâmicos, egípcios, cananeus, persas, gregos e romanos são o tema central desse livro. A busca do autor é por compreender de que forma esses povos podem ter influenciado a fé do antigo Israel e, também, na doutrina cristã.

Perguntas como: Há princípios que podem ser considerados biblicamente corretos, na teologia dos pagãos? Como a política dos impérios antigos pode ter sido usada no plano divino para trazer Cristo ao mundo? São respondidas a partir de um abrangente estudo que envolve temas como: a geografia histórica, os sistemas políticos, a cultura geral e, especialmente, o pensamento religioso de cada um desses povos.

Você conseguiu observar como todas essas obras tratam a “história da igreja”?

Se sim, fique sabendo que todas elas estão, aqui, no site da Livrarias Família Cristã! Confira!

Para ler mais postagens como essa, é só continuar acompanhando o blog da Livrarias!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *